Entrevista - Ana Beatriz Brandão

11268921_1611074679179525_351196677_n
No post de hoje vamos conhecer um pouco mais da querida Ana Beatriz Brandão, um prodígio inegável da literatura brasileira e da ficção. O que posso dizer sobre ela? Desde que a conheci pelas redes sociais venho acompanhando seu relacionamento com os fãs, ou anjinhos como foram carinhosamente apelidados.
 Ana trata todos com uma simpatia incrível e ainda dá conta do segundo ano do ensino médio! Incrível né? Agora que eu já tentei apresentá-la para vocês vamos conhecer um pouco mais sobre ela e seu livro “A Sombra de Um Anjo” com essa metade da entrevista que ela me concedeu, como ficou muito longa vou dividir em dois posts para ficar melhor para vocês.
Vivi – Sei que é uma pergunta bem clichê, mas você teve alguma inspiração para a criação de seus personagens? Eles são inspirados em pessoas reais? Tem algum personagem que se assemelha muito a você?
Ana Beatriz – A maioria deles não foi inspirado em ninguém. Na verdade, acho que, tirando a Helena e a Emanuelle, nenhum deles foi. A primeira foi inspirada na minha melhor amiga, e a segunda, na Marina Ruy Barbosa hahaha. É claro que muitos deles tem algumas características minhas ou que eu gostaria de ter, mas não inspirei nenhum deles totalmente em mim.
Vivi – Você consegue escolher sua personagem favorita no seu livro? Porque ela é a que mais gosta?
AB – No Sombra de um anjo, a minha personagem favorita é… Ai meu Deus, não consigo escolher! Se for feminina, acho que é a Emanuelle, e se for masculina fico entre o Gabe e o Lucian kkkk Já no Caçadores, minha personagem favorita de todas, masculinas ou femininas, é o Dorian, com certeza. Aquele lindo…
Vivi – Sei que é uma pergunta muito difícil, mas preciso faze-la, qual seu livro, ou livros, favoritos? Tem uma personagem favorita também?
AB- Mas eu não tenho livro preferido!! É impossível escolher, assim como as personagens.
Vivi – Enquanto você escrevia, você mostrou seus progressos para alguém? Pediu opinião e conselhos? Ou só mostrou aos olhos do público depois que considerou pronto?
AB – Mostrei sim! Pra minha mãe e pra algumas das minhas amigas, sempre pedindo opinião. Geralmente eu sempre tenho mais de uma maneira de continuar uma cena ou como terminar um livro, então conto todas as opções e peço pra me ajudarem a escolher.
Vivi – Em relação a escrita do livro, você é perfeccionista? Como soube que estava pronto, que não tinha mais nenhum detalhe a ajeitar?
AB – MUITO! Só o Sombra de um anjo revisei sete vezes! O Caçadores de Almas foi um pouco menos, já que é menor, mas em ambos eu acrescentava muitas coisas a cada revisão. Se você quer saber, eu nunca soube quando estavam prontos. Parei quando me pediram pra parar, dizendo que, se eu não parasse, nunca seria publicado!
Vivi – Escrever sempre foi algo importante para você? Ou só surgiu depois que estava com a ideia do livro na cabeça?
AB – Eu sempre gostei muito de fazer redações, embora nunca tenha sido muito boa nessa matéria (kkkkkk), mas passou a ganhar mais importância depois que a ideia do livro surgiu mesmo.
Gostaram de conhecê-la?
20140410-030906-PM.jpg

0 comentários: