Entrevista: J. D. Ferreira

by - segunda-feira, março 20, 2017


Bom dia gente!!

Há pouco tempo resenhei Transformados para vocês e hoje vim trazer um pouco mais sobre o autor Jean Dias! Vem conhecê-lo um pouco.


Primeiro, nos fale um pouco de você.


Bom, eu sou Jean Dias Ferreira, mas prefiro ser chamando apenas de Jean Dias. Nasci no dia 15/07/1994, sou canceriano (não que eu acredita que a aparente posição do sol em relação as constelações na hora do meu nascimento afeta minha personalidade de alguma forma, mas acho interessante). Sou apaixonado por Lana Del Rey e Florence and the Machine. Sou extremamente metódico, em tudo, odeio desorganização e não confio no acaso. No momento, estou no nono semestre do Curso de Direito. Bom... o que mais? Ah, eu amo super heróis, sou beeem nerd mesmo e, claro, leio compulsivamente.

Quando que seu interesse pela literatura surgiu? Teve algum livro que foi como um gatilho?

Bom, comecei a gostar de livros de uma forma bem inusitada. Fiz terapia por algum tempo, e a psicoterapeuta acabou me indicando Harry Potter e a Pedra Filosofal. Li o livro todo rapidamente e me apaixonei. Por isso digo, afirmo sem dúvidas: eu devo minha vida à literatura, especialmente à Harry Potter.

Consegue escolher um gênero literário favorito?

Não. Gosto de livros. Costumo dizer que eles são como pessoas. Gosto de pessoas. Gosto de livros. Fim.

Sei que é uma pergunta bem clichê, mas você teve alguma inspiração para a criação de seus personagens? Eles são inspirados em pessoas reais? Tem algum personagem que se assemelha muito a você?

Claro. Literatura é uma mentira. Nós mentimos ao escrever, mas mentimos com verossimilhança (tentamos aproximar da verdade). Eu sou um ficcionista, mas me valo de muita coisa (leia-se pessoas, eventos) da vida real, por assim dizer. Sempre digo para os leitores que eles precisam extrair a verdade por trás da ficção. Zumbis não existem. Muito menos Transformados (o que é uma pena, porque eu adoraria ter poderes), mas cada uma dessas figuras representam algo da nossa vida. São símbolos. Se eu e espelhei em pessoas reais? Claro. Quase todas as personagens não reais: Natalia, Juliano, Sonia, Manu são apenas alguns exemplos. Mas deixo aquela máxima: quem um escritor ama, não morre nunca; estará eternizado nos livros dele.

Você consegue escolher sua personagem favorita no seu livro? Porque ela é a que mais gosta?

John. Porque ele é meu irmão. E ele é foda (pode falar/escrever foda aqui?) para caralho.

Tem algum personagem, de qualquer livro, com quem você se identifica muito?

Claro. Vários. Mas destaco o Charlie, de As Vantagens de Ser Invisível. Não sei, mas me sinto como ele: só.

Sei que é uma pergunta muito difícil, mas preciso faze-la, qual seu livro, ou livros, favoritos?

Todos. Sério. Mas se sou obrigado a destacar, escolho Harry Potter, As Vantagens de Ser Invisível e Ao Farol (sou péssimo em selecionar coisas, amanhã, ao me perguntar isso, com certeza citarei outros).

Enquanto você escrevia, você mostrou seus progressos para alguém? Pediu opinião e concelhos? Ou só mostrou aos olhos do público depois que considerou pronto?

Mostrei para o Juliano (meu melhor amigo da vida), para a Manu (uma amiga que ganhei pelas redes sociais) e para a Sonia (minha irmã e alma gêmea).

Em relação a escrita do livro, você é perfeccionista? Como soube que estava pronto, que não tinha mais nenhum detalhe a ajeitar?

Sou metódico, não perfeccionista e, não soube que estava pronto, tive que parar no meio dele. Afinal, escritor iniciante, nacional, com livro grosso.... Quem leria? (insira risos aqui).

Escrever sempre foi algo importante para você? Ou só surgiu depois que estava com a ideia do livro na cabeça?

Sempre fui sozinho. Não gosto muito de contato. Encontrei nos livros minha solidão. Sem a escrita eu definharia.

Na escrita do livro a ideia surgiu pronta e você logo a escreveu ou foi um processo de criação longo onde com o tempo a história foi tomando forma?

Surgiu ao longo da historia. Ainda não faço ideia de como será o final, só sei que muita gente vai morrer até o lançamento do quarto e último livro da série Geração Z.

Tem algum livro que você leu e pensou “Nossa gostaria de ter escrito isso”?

Sim. Não só os livros dela, mas eu gostaria de ser a Virginia Woolf. Ela é melancólica demais. Nossa, nem sei como expressar. Eu amo ela.

Bate e volta, essas são perguntinhas só de curiosidades, para conhecermos um pouquinho mais de você. Qual o livro que você leu que todo mundo gosta, mas você não suporta?

Crepúsculo?

Qual escritor que você nunca leria?


J. D. FERREIRA. Acho que essa pose de intelectual antissocial é uma farsa.

Qual a personagem que você ama de paixão?

Charlie de As Vantagens de Ser Invisível.

Que livro que te fez chorar muito?

As Vantagens de Ser Invisível.

Qual o melhor cenário para ler?

Qualquer um. Desde que esteja só.

Lugar favorito?

Meu quarto.

Viagem dos sonhos?

Londres.

LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários