Entrevista - Francélia Pereira

quarta-feira, julho 13, 2016 , , 0 Comentários


Olá queridas Corujinhas!
O post de hoje é a entrevista divertidíssima com a Francélia Pereira. Já tivemos resenha de Habitantes do Cosmos – Artemísia e nada melhor para entrar no clima do que conhecer um pouco mais da autora, certo?

  • Primeiro, nos fale um pouco de você.
Não há muito o que dizer. Sou uma pessoa simples,11033611_1543100715953027_7671258284229263855_n curiosa… amo muito a liberdade (que é a única coisa a qual tenho apego), sou fascinada por Arte e Cultura Pop.
  • Quando que seu interesse pela literatura surgiu? Teve algum livro que foi como um gatilho?
Meu interesse pela Literatura surgiu na infância, sempre gostei de ouvir histórias e quando fui alfabetizada não saía da biblioteca da Escola.
Na adolescência, por causa dos livros que a Escola nos obrigava a ler, me afastei um pouco da Literatura e, nessa fase, quem me resgatou foi o Paulo Coelho, com o livro “O Alquimista” (eu tinha 13 anos).
  • Consegue escolher um gênero literário favorito?
Hum… pergunta difícil. Gosto muito de Mitologia, então, acredito que posso afirmar que meu gênero literário favorito seja Fantasia (mas não gosto de autores como Martin e Tolkien, embora reconheça a genialidade deles).
  • Sei que é uma pergunta bem clichê, mas você teve alguma inspiração para a criação de seus personagens? Eles são inspirados em pessoas reais? Tem algum personagem que se assemelha muito a você?
Todos os meus personagens são baseados em pessoas reais, a maioria são inspirados em pessoas  que conheço; e todos eles têm muito de mim, pois falo através deles.
  • Você consegue escolher sua personagem favorita no seu livro? Porque ela é a que mais gosta?
Sem dúvida a Artemísia, porque é uma personagem forte, corajosa e nasceu predestinada a mudar as coisas, não no mundo, mas em sua própria vida. Artemísia nasceu presa a um sistema que lhe colocava em situação perpétua de inferioridade, mas ela nunca aceitou isso, e foi isso que a levou pra longe de seu povo e lhe deu a oportunidade de conhecer outras formas de existir e, assim, evoluir.
  • Tem algum personagem, de qualquer livro, com quem você se identifica muito?
Há vários personagens com os quais me identifico, tanto homens quanto mulheres, mas um personagem que me marcou bastante foi a Artemísia do escritor grego Heródoto, pois foi uma mulher que conseguiu se destacar por suas habilidades, em uma sociedade que discriminava o gênero feminino.  A Artemísia descrita por Heródoto parecia não se preocupar muito com a opinião dos outros e nem se limitava aos padrões impostos pela sociedade, era um ser humano livre para fazer suas escolhas e acabou escolhendo entrar para a História.
  • Sei que é uma pergunta muito difícil, mas preciso faze-la, qual seu livro, ou livros, favoritos?
Todos12719556_1667335346855095_5914841801786318748_o os livros de Mitologia (de todas as culturas); as HQ’s do Alan Moore (que pra mim são Literatura); “A terra dos mil povos”, de Kaká Werá Jekupé e “A Ilha”, de Aldous Huxley. Há vários outros, mas esses estão no topo da lista J.
  • Enquanto você escrevia, você mostrou seus progressos para alguém? Pediu opinião e concelhos? Ou só mostrou aos olhos do público depois que considerou pronto?
O “Habitantes do Cosmos” foi escrito pra participar de um concurso, mas mostrei pra alguns amigos antes de enviar. Já o “Artemísia”, fui escrevendo em um blog (na época não conhecia plataformas como Whattpad e Widbook), assim, as pessoas iam lendo e comentando.
  • Em relação à escrita do livro, você é perfeccionista? Como soube que estava pronto, que não tinha mais nenhum detalhe a ajeitar?
Há autores que se preocupam muito em escrever uma obra-prima ou um grande sucesso de mercado; eu só quero compartilhar histórias que nos levem a refletir sobre nossa existência, sobre questões que considero importantes pra maioria de nós, pra que nossa convivência seja melhor ― pra pararmos de cometer os mesmos erros ―, assim, não me preocupo muito em deixar a obra “perfeita”, e não me importo com as críticas sobre isso.
Se alguém lê um texto meu e consegue se tornar um pouquinho mais consciente sobre as questões que abordo; ou se conheço, através do meu trabalho com a Literatura, pessoas que me fazem ser melhor, considero isso um sucesso, pois é o meu objetivo. Logo, não, não sou nem um pouco perfeccionista!
  • Escrever sempre foi algo importante para você? Ou só surgiu depois que estava com a ideia do livro na cabeça?
A ideia de escrever uma obra de ficção surgiu após a conclusão da minha monografia ― sobre Linguagem na Era Digital. A partir dessa pesquisa, a história do livro surgiu.
  • Na escrita do livro a ideia surgiu pronta e você logo a escreveu ou foi um processo de criação longo onde com o tempo a história foi tomando forma?
A ideia principal, do primeiro livro, eu já tinha desde o inicio, mas os persona10931263_1534807593441205_5826747144078947457_ngens foram aparecendo ao longo da história. A história foi concluída em, aproximadamente, cinco meses; mas tive um período de “bloqueio” quando cheguei na metade do livro.
  • Tem algum livro que você leu e pensou “Nossa gostaria de ter escrito isso”?
Não.
  • Bate e volta, essas são perguntinhas só de curiosidades, para conhecermos um pouquinho mais de você. Qual o livro que você leu que todo mundo gosta, mas você não suporta?
Não consigo terminar a leitura de livros que não suporto, assim, não há nenhum.
  • Qual escritor que você nunca leria?
Talvez, E. L. James.
  • Tem alguma personagem que você gostaria de não ter conhecido?
Não.
  • Qual a personagem que você ama de paixão?
Anhangá.
  • Que livro que te fez chorar muito?
Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe.
  • Qual o melhor cenário para ler?
Meu quarto.
  • Lugar favorito?
O Parque das Mangabeiras, em BH.
  • Viagem dos sonhos?
Parque Nacional de Sete Cidades, no Piauí.
E por hoje é isso! Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre essa autora incrível. Se quiser aproveitar e conhecer outros autores parceiros do blog é só ir na nossa aba de autores parceiros.

0 comentários: