Entrevista - Letícia Godoy

by - segunda-feira, julho 18, 2016


Boom Dia!
O post de hoje é a entrevista de mais uma autora parceira aqui do blog. Ficamos muito felizes em fechar essa parceria porque a Letícia é uma fofa e eu já tinha conhecido a escrita dela no Primeiras Impressões de Deixe-Me Entrar e fiquei muito curiosa com o livro. Vou parar de enrolar vocês e deixar que conheçam ela.

  • Primeiro, nos fale um pouco de você.
Bem, meu nome é Letícia Godoy, tenho 22 anos e sou escritora desde os 8 anos de idade. Sou graduada em Letras/Inglês e atuo no mercado editorial também como revisora e diagramadora de e-books. Nas horas vagas, além de ler um bom livro e alimentar um blog literário, gosto muito de sair com minha família e assistir filmes com meus irmãos. Gosto de escrever de madrugada, porque é uma hora bem silenciosa e quase todas as minhas13339653_984320231675590_2044252986279591323_n ideias vêm como se fossem bombas que precisam explodir. Amo animais, tenho, agora, 3 cachorros e 2 gatinhas. Gosto de morar no interior, pois sou uma pessoa que gosta de sossego e nos fins de semana, adoro ir para o sitio dos meus pais e curtir a calma que o lugar me trás! Sou leitora assídua, amo assistir séries, de preferência medievais, por isso sou compulsiva por Outlander e adorei a temporada de Camelot! Ainda irei assistir Merlin, mas tudo bem, não se pode ter tudo nessa vida… Acho que é isso!
  • Quando que seu interesse pela literatura surgiu? Teve algum livro que foi como um gatilho?
Olha, foi logo cedo, quando eu tinha uns 4 anos, mas comecei a escrever  “sério” com 8 anos de idade, e não teve um livro gatilho, para mim foi um filme! Eu assisti ao filme e fiquei com tanta raiva do final que no dia seguinte, com o dinheiro que o meu pai me dava para comprar doces na escola, eu fui lá e comprei um caderninho, onde escrevi meu primeiro livro. Desde então, nunca mais parei e já fazem 14 anos!
  • Consegue escolher um gênero literário favorito?
Que difícil! Não! Mas eu gosto muito de terror, romance, romance de época… Okay, eu sou uma romântica incorrigível, então este sempre acaba sendo o meu gênero favorito, mas também AMO fantasia! Na verdade, me considero uma leitora/escritora bastante eclética. Gosto de tudo um pouco!
  • Sei que é uma pergunta bem clichê, mas você teve alguma inspiração para a criação de seus personagens? Eles são inspirados em pessoas reais? Tem algum personagem que se assemelha muito a você?
Sim! É uma pergunta clichê, mas eu adoro respondê-la! Meus personagens são inspirados em amigos, pessoas que passaram pela minha vida, e até mesmo pessoas que vi na rua! Adoro o momento de criação deles e acho que quase todas as minhas protagonistas se parecem muito comigo, mas uma, em especial, a Elvira de Jurada pelas Sombras, todo mundo diz que consegue ver que “sou eu” ali! Chega a ser estranho, mas eu não conseguia admitir para mim mesma este fato, hoje em dia eu aceito de boa e até gosto, assim as pessoas podem conhecer um pouquinho da pessoa por trás da história. Atualmente, tenho estudado mais para a criação dos personagens, com um pouco mais de técnica, sabe? Porque senão acaba ficando meio repetitivo e quase todo mundo parece com todo mundo, mas eu gosto de manter esta essência!
  • Você consegue escolher sua personagem favorita no seu livro? Porque ela é a que mais gosta?
Uau! Que difícil! Eu amo os meus personagens, eles me fazem rir, me fazem chorar e sentir muitas coisas, então é realmente difícil escolher meu favorito. Porém, eu gosto muito do Gerard de Deixe-me Entrar, gosto dele porque ele é forte, misterioso e ao mesmo tempo romântico. Ele já passou por poucas e boas na sua “não vida” e mesmo assim ainda gosta de estudar e conhecer a humanidade. Acho que eu me identifico com isso, uma vez que às vezes me deixeme_entrar_1453774034537546sk1453774034bdecepciono muito com as pessoas e percebo que só conhecemos aquilo que elas nos mostra e por isso nem sempre estamos preparados para o que elas têm a mostrar, realmente.
  • Tem algum personagem, de qualquer livro, com quem você se identifica muito?
Olha, eu me identifico muito com a Elizabeth Bennet de Orgulho e Preconceito, da Jane Austen. Acho que assim como a Lizzie, eu já fui surpreendida ao ter meus próprios preconceitos rompidos e também já fui vitima de preconceito e depois a pessoa se surpreendeu com o que tinha por trás. Então, eu realmente me identifico com ela.
  • Sei que é uma pergunta muito difícil, mas preciso fazê-la, qual seu livro, ou livros, favoritos?
E bota difícil nisso hein! Todo mundo que me conhece sabe que sou uma amante dos clássicos! Então o meu favorito é O morro dos Ventos Uivantes. Esse livro mexeu muito comigo, de um jeito que até hoje não consigo explicar. Outro livro, agora nacional, que amo, é Dom Casmurro! Okay, Machado de Assis é o meu ídolo e eu amo essa questão do traiu ou não traiu… eu acho que o Bentinho estava alucinando, mas tudo bem, isso é tópico para outra conversa (risos). Contemporâneo, nem me arrisco a dizer, pois gosto de muitos… Muitos mesmo! Uma autora que gosto bastante é a Alane Brito e também a Samanta Holtz, a Juliana Daglio, a Malu Ghiraldeli, a Carol Defanti, a Ana Beatriz Brandão, então… parei por aqui! A lista é muito, muito grande mesmo!11665455_915243648583249_7204596242393437682_n
  • Enquanto você escrevia, você mostrou seus progressos para alguém? Pediu opinião e concelhos? Ou só mostrou aos olhos do público depois que considerou pronto?
Ih… Pobre dos meus leitores betas! O Deixe-me Entrar começou a ser escrito em 2010, e eu mostrei para muitas, muitas pessoas! Inclusive para vários “personagens” do livro que me incentivaram a prosseguir, hoje, quando eles pegam o livro e veem o nome nos agradecimentos, dizem: sua maluca, nem acredito! É super divertido! Hoje em dia tenho vários leitores betas que me ajudam durante o processo de escrita, e considero isso superimportante. E quanto a estar pronto… Nunca acho que está pronto! Então, os betas acabam dando aquele empurrãozinho e dizendo: publica logo, tá bom assim! É super divertido!
  • Em relação a escrita do livro, você é perfeccionista? Como soube que estava pronto, que não tinha mais nenhum detalhe a ajeitar?
Perfeccionista eu sou, mas percebi, ao longo da minha trajetória pelo meio literário, que não dá para estar 100%. Sempre vai ter um ponto onde pode ser melhorado e por causa disso, atualmente eu não me estresso tanto comigo mesma. Cobro muito de mim? Cobro! Sou exigente ao máximo? SOU! Mas não vou ficar doente por causa que passou um erro aqui, outro ali. Somos humanos! Na próxima a gente conserta! E eu arrisquei viu, nunca tive aquela certeza do: está pronto. Tento arriscar porque se eu ficar pensando… nunca que tenho coragem de mostrar a alguém!
  • Escrever sempre foi algo importante para você? Ou só surgiu depois que estava com a ideia do livro na cabeça?
Sempre foi importante, desde criança. Tanto que eu mantive diários durante a adolescência toda. Isso me ajudava bastante e sem falar no fato de que eu já tinha o sonho de ser uma escritora famosa e achava que manter um diário era importante para caso alguém quisesse escrever minha biografia de vida! Olha as ideias (risos). Mas é sério, escrever sempre foi importante e eu costumo escrever pelo menos um parágrafo por dia!
  • Na escrita do livro a ideia surgiu pronta e você logo a escreveu ou foi um processo de criação longo onde com o tempo a história foi tomando forma?
Depende. Algumas das minhas histórias vieram prontas. Outras eu comecei e elas foram se modificando e tomando forma. É um processo bem delicado e como eu costumo demorar bastante… (os meus leitores ficam angustiados com isso!) Eu penso, penso, penso… Então aço que a maioria é um processo longo de criação.
  • Tem algum livro que você leu e pensou “Nossa gostaria de ter escrito isso”?
Aiiii! Sim! Vários! Um deles é A história sem fim. Acho esse livro lindo e muito genial! Outro é O mundo de Sofia. Nossa, só de falar me sinto arrepiada. Essa lista seria bem grande, então só vou citar esses dois! (risos)
  • Bate e volta, essas são perguntinhas só de curiosidades, para conhecermos um pouquinho mais de você. Qual o livro que você leu que todo mundo gosta, mas você não suporta?
Hm… 50 tons de cinza e O lado feio do amor.1936382_919175021523445_7060037232708176984_n
  • Qual escritor que você nunca leria?
Sylvia Day, mas não é por ser erótico ou coisa assim, só porque não faz meu estilo mesmo.
  • Tem algum personagem que você gostaria de não ter conhecido?
Mr. Darcy de Orgulho e Preconceito, me dá depressão de saber que ele não é real (risos)
  • Qual a personagem que você ama de paixão?
Jamie Fraser da série Outlander da Diana Gabaldon… Deus, por que ele não pode ser de verdade e vir lá da Escócia para ser meu marido? (risos)
  • Que livro que te fez chorar muito?
Não sou muito de chorar, mas fiquei muito emocionada com O diário de Anne Frank.
  • Qual o melhor cenário para ler?
O meu quarto, de preferência debaixo dos cobertores!
  • Lugar favorito?
Acho que a biblioteca, sem zueira!
  • Viagem dos sonhos?
Ai… um tour pela Europa para conhecer todos os castelos medievais possíveis! Amo demais!
Gostaram de conhecer a autora? Logo logo vamos trazer a resenha de Deixe-Me Entrar para vocês. Se quiser conhecer mais sobre nossos autores parceiros é conferir nossa página de parcerias.

LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários