Entrevista - Selma Mottin

segunda-feira, julho 18, 2016 , , 0 Comentários

Boom Dia Corujinhas!!
O post de hoje é mais do que especial, porque além de vocês conhecerem a autora poderão ganhar o livro dela. Isso mesmo, no final da entrevista você pode se inscrever para participar do sorteio do livro Café Com Leite Quente da autora. Mas vou parar de enrolar e deixar que conheçam ela melhor:
  • Sei que é uma pergunta bem clichê, mas você teve alguma inspiração para a criação de seus personagens? Eles são inspirados em pessoas reais? Tem algum personagem que se assemelha muito a você?12745871_821033978005368_8368581676381106919_n
Sou cronista, então meus personagens, na maioria das vezes, são reais. Também sou parte da maioria das crônicas, inspiradas em meu cotidiano.
  • Você consegue escolher sua personagem favorita no seu livro? Porque ela é a que mais gosta?
Há um personagem que fez parte de minha infância e que eu nomearia como meu favorito pelo que ele representou nesse período de minha vida. Além disso, creio que toda criança tem um “Seu Brasiliano” na vida dela.
  • Sei que é uma pergunta muito difícil, mas preciso faze-la, qual seu livro, ou livros, favoritos? Tem uma personagem favorita também?
São muitos, mas vou citar o que considero melhor de todos: “Ensaio sobre a cegueira”, e a personagem favorita é a mulher que se interna junto com o marido cego, para tentar ajudá-lo. Ela não tem nome, como é característico dos personagens criados por Saramago.
  • Enquanto você escrevia, você mostrou seus progressos para alguém? Pediu opinião e concelhos? Ou só mostrou aos olhos do público depois que considerou pronto?
Costumo submeter o que escrevo à apreciação de minhas filhas e de meu esposo, esporadicamente posto algum texto no Facebook. Mas o trabalho só se tornou conhecido qua12961694_846659882109444_6239588698657753725_nndo o julguei pronto. Fui minha maior crítica.
  • Em relação a escrita do livro, você é perfeccionista? Como soube que estava pronto, que não tinha mais nenhum detalhe a ajeitar?
Talvez eu seja um tanto perfeccionista, por isso mesmo foi necessário publicar, pois enquanto o texto estivesse em minhas mãos, passível de retoques, eu não deixaria de alterá-lo. Publicar é dividir com o provável leitor o cuidado com o filho que parimos.
  • Escrever sempre foi algo importante para você? Ou só surgiu depois que estava com a ideia do livro na cabeça?
Escrever representa uma rotina em minha vida. Sempre escrevi, sem qualquer pretensão. A ideia do livro surgiu há alguns anos, quando passei a arquivar meus textos. Antes, eles ficavam por um tempo perambulando em minha mesa e depois desapareciam…
  • Bate e volta, essas são perguntinhas só de curiosidades, para conhecermos um pouquinho mais de você. Qual o livro que você leu que todo mundo gosta, mas você não suporta?
Posso confessar mesmo? Já li “O Alquimista”, do Paulo Coelho. Na época – faz uns vinte e cinco anos -, todo mundo estava lendo. Era sucesso de público. Até gostei da historinha, mas até hoje não entendo como esse autor vende tancafé com leite quenteto…
  • Qual escritor que você nunca leria?
Não sei se há algum escritor que não leria de jeito nenhum, até porque, para criticar, precisamos conhecer. Hoje eu não leria certos gêneros, como auto-ajuda, mas autores, especificamente, não sei nomear.
  • Tem alguma personagem que você gostaria de não ter conhecido?
Fiquei amedrontada por meses com a menina de “O Exorcista”.
  • Qual a personagem que você ama de paixão?
Capitu, “a cigana dos olhos oblíquos e dissimulados” é, das personagens femininas, a mais marcante de nossa literatura.
  • Que livro que te fez chorar muito?
Um livro não tão conhecido do grande público: “O tigre na sombra”, da Lya Luft. A identificação com a protagonista torna o enredo muito emotivo.
  • Qual o melhor cenário para ler?
Uma confortável rede numa varanda.
  • Lugar favorito?
Lugares quentes, em boa companhia. Odeio o frio.
  • Viagem dos sonhos?
Itália.
Espero que tenham gostado!

0 comentários: