Lido e Relido: A Seleção – Kiera Cass

segunda-feira, julho 11, 2016 , , , 0 Comentários

Bom dia, corujinhas!

Não teria nem como fazer uma semana especial da Kiera Cass sem falar da serie que a tornou famosa: A Seleção. Uma coisa que sempre me impressiona quando releio um livro são os pequenos detalhes que fazem referência a coisas que ainda acontecerão, em outros livros da série, mas que você não se lembra após apenas uma leitura, mesmo sendo coisas muito significado.


Mas antes que eu me perca no meio da história, vou voltar para o começo:
Sinopse: “Para trinta e cinco garotas, A Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, estar entre as selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás o rapaz que ama, abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer e viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que nunca tinha ousado imaginar.”
E além da sinopse, o livro também tem seu Book Trailer Oficial:
ALERTA: *esse post pode conter spoilers*
Todos sabemos que America nunca quis entrar para a Seleção. Ela tinha construido em sua cabeça uma imagem negativa do Príncipe Maxon, e tinha certeza que ele ia ser mimado, metido e irritante, e ela achava que nunca jamais poderia ter qualquer tipo de sentimento positivo em relação a ele. E todos sabemos que ela estva errada (se ela não estivesse, não teríamos tantas continuações, certo?)
Maxon não é nada disso. Ele é gentil, tímido, compreensivo, e ele se apaixona por America praticamente a primeira vista. Quando eles se conhecem, America reconhece que ele não é o que ela imaginava, e eles acabam firmando um acordo, que permite que America permaneça no castelo, tentando se recuperar de um coração partido, e enquanto Aspen vai se soltando  de seu coração, Maxon vai se infiltrando lentamente, sem que America perceba até o momento em que ele a beija.
“Com a mão aproximando levemente meu rosto do seu, Maxon inclinou a cabeça e me deu o mais tímido dos beijos.
Algo em sua hesitação fez com que eu me sentisse linda. Sem precisar de palavras, pude compreender como ele estava emocionado mas também assustado com o momento. E por trás de tudo isso via sua adoração por mim.
Então era assim que uma dama se sentia.
Depois de um tempo, ele se afastou e perguntou:
— Melhorou?
Consegui apenas concordar com a cabeça. Maxon parecia a ponto de dar piruetas. Meu peito carregava um sentimento parecido. Tudo tão inesperado, tão rápido, tão estranho. Meu rosto deve ter denunciado minha confusão, pois Maxon ficou sério.
— Posso dizer uma coisa?
Consenti.
— Não sou burro o bastante para crer que você esqueceu seu antigo namorado. Sei pelo que vocês passaram e que circunstâncias aqui não são exatamente normais. Sei que você acha que há moças aqui mais adequadas para mim e para a vida no palácio. Não quero me apressar e tentar ser feliz com qualquer uma. Eu só… só quero saber se é possível…
Uma pergunta difícil de responder. Por acaso eu desejaria uma vida que nunca quis? Estaria disposta a vê-lo em encontros alegres com as outras apenas para se certificar de que não estava errado? A assumir a responsabilidade de princesa? Eu queria amá-lo?
— Sim, Maxon — sussurrei. — É possível.”
Isso faz com que America questione tudo que sempre acreditou. A vida que ela tinha planejado para si. Ela passou muito tempo se conformando com a ideia de ser uma Seis, e diante dela, em uma bandeja, nao de prata, mas sim de ouro e diameantes, estava apossibilidade de ser uma Um. Uma Princesa, e, futuramente, uma Rainha. E  agora, restava a ela decidir quao longe ela estava disposta a ir, o quanto ela estava disposta a mudar, para ter uma vida ao lado de Maxon.
Mas quando ela estava perto de se decidir, a fonte de suas dúvidas reaparece em sua vida.
“Viramos em um corredor e continuamos a conversar. Quando cruzamos com um destacamento da guarda do palácio, todos os soldados abriram caminho e saudaram o príncipe e sua acompanhante. Devia haver mais de uma dúzia de homens naquele corredor. Eu já estava acostumada com a presença deles. Mesmo um grupo tão grande não era capaz de tirar minha atenção dos momentos agradáveis que ia passar com Maxon em breve.
O que me fez parar foi o suspiro que alguém deixou escapar enquanto passávamos. Tanto Maxon como eu demos meia-volta.
E ali estava Aspen.
Também suspirei.
Alguns dias antes, eu tinha ouvido um dos administradores do palácio comentar de passagem o recrutamento. Aspen me veio à mente então, e imaginei como ele estaria. Mas como eu estava atrasada para uma das várias aulas de Silvia, não tive muito tempo para especular.
Então ele tinha sido escolhido, afinal. E entre todos os lugares para onde poderia ir…
Maxon interrompeu meus pensamentos:
— America, você conhece este jovem?
Mais de um mês havia se passado desde a última vez em que vira Aspen, mas ele era a pessoa que eu me forçava para não esquecer, aquele que ainda habitava meus sonhos. Eu o reconheceria em qualquer lugar. Parecia um pouco maior, como se estivesse bem alimentado, muito bem alimentado, e malhando muito. Seu cabelo bagunçado fora cortado bem baixo, praticamente raspado. Eu estava acostumada a vê-lo com roupas de segunda mão que as costuras mal mantinham inteiras. E agora lá estava ele, com um dos uniformes brilhantes e bem ajustados da guarda do palácio.
Ele parecia estranho e familiar ao mesmo tempo. Tantas coisas pareciam fora de lugar ao seu redor. Mas aqueles olhos… eram os olhos de Aspen.
Meus olhos baixaram para a plaqueta de identificação em seu uniforme: SOLDADO LEGER.
Tudo isso não deve ter levado um segundo.
Mantive a compostura o suficiente para ninguém perceber a tempestade que se armava dentro de mim, num milagre puro e simples. Quis tocá-lo, beijá-lo, gritar com ele, exigir que saísse do meu refúgio. Quis cavar um buraco e sumir, mas eu estava ali.
Nada fazia sentido.”
A chegada de Aspen mexe profundamente com America. Sentimentos enterrados encontram seu caminho de volta para a supeficie, e a dúvida se instala, mais forte do que nunca: quem sera o futuro de America?
Esse foi o Lido e Relido de hoje, e vamos ter muito mais da Kiera Cass essa semana! Até logo, corujinhas!
Beijinhos,

0 comentários: