Nove Regras a Ignorar Antes de Apaixonar - Sarah MacLean

Bom Dia Corujinhas!
Romances de Época são o tipo de livro que fazem com que eu passe horas imersa em seus páginas e só pare com a leitura concluída. Já tinha me apaixonado perdidamente pela escrita da Julia Quinn e Sarah MacLean é tão incrível quanto. Nove Regras… (esse título é muito extenso, não é?) é um livro que nos conquista desde a primeira página, com personagens fortes e um enredo bem diferente.

Sobre o Livro:nove_regras_a_ignorar_antes_de_1455316365550906sk1455316365b

  • Autor: Sarah MacLean
  • Editora: Arqueiro
  • Numero de Páginas: 384
  • Lançamento: 2016
  • Skoob.
  • Onde Comprar: SubmarinoAmazon
Calpúrnia Hartwell é uma mulher muito romântica, mas nem sua grande fortuna, sua posição na sociedade e sua reputação intocada, a ajudaram a encontrar um amor, ou um marido. Com 28 anos Callie já desistiu da ideia de casamento, aceitou sua posição como solteirona, mas nunca esqueceu sua paixão por  Gabriel St. John, o marquês.
“O amor não é unilateral e egoísta. É pleno e generoso, e modifica a vida da melhor maneira possível. O amor não destrói Gabriel. Ele cria.” – pág. 349
Depois de mais uma festa que terminou com Callie chorando sozinha e fugindo dos familiares que insistiam em lembrá-la que nunca iria se casar, ela faz uma lista. Uma lista com nove coisas que quer fazer, simplesmente por não poder fazer nenhuma delas. Cansada da reputação e da imagem passiva que tem Callie vai completar sua lista. A lista incluí coisas como: Ser beijada, fumar um charuto e beber uísque.
Mas é claro que completar tudo sozinha seria muito difícil. Por isso Callie consegue ajuda, ou é coagida a recebê-la. e quem seria melhor para ajudá-la a quebrar as regras da sociedade do que Gabriel, o maior libertino de Londres? Mas apesar de amá-lo a muito tempo, Callie tem que se manter firme e não quebrar a regra mais importante: A que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.
“Se algum dia Callie olhasse para ele daquele jeito, ele a tomaria nos braços e a beijaria até ela perder os sentidos. – pág. 274
Callie é ousada, apaixonada e muito intensa. Mas ao passar a vida inteira fazendo o que era esperado dela, acabou perdendo quem realmente é. E a lista é uma forma que ela tem de se encontrar e de provar que pode fazer qualquer coisa. O marquês é um libertino, bonito, rico e claro, que não acredita nem um pouco no amor. Gabriel tem o poder de sempre estar no lugar errado na hora errada, e isso faz com que Callie e ele acabem se tornando cúmplices. Ela o ajuda a inserir a irmã bastarda na sociedade, e ele a ajuda a completar a lista e fica em silêncio sobre o assunto.
O livro é leve e passa voando. Com muitas cenas divertidas e personagens encantadores Sarah trás um romance histórico que tem diversas criticas a nossa sociedade atual. Um romance muito feminista, com os pensamentos de Callie e que causa uma reflexão no leitor sobre o tema. Além disso, ele é um pouco hot. Mas sem forçar a barra, Sarah insere as cenas no momento certo, sem sobrecarregar nada.

0 comentários: