Primeiras Impressões: Fantasya de Thiago Anderson e O Enigma de Shalkas de André C. S. Santos


Bom dia Gente! Hoje eu vim trazer as minhas primeiras impressões sobre esses dois incríveis lançamentos da Arwen! Agora vocês me perguntam porque estou fazendo os dois juntos, e porque as capas se unem em uma imagem só? Calma que vou explicar:

Primeiramente, “Porque as capas se completam?” Bom, O Enigma de Shalkas inspirou Thiago a escrever Fantasya, como são amigos, depois da leitura do livro do André, Thiago gostou muito e quis explorar a história não só como leitor, mas também como escritor. A partir daí Thiago pediu autorização ao amigo para usar em seu livro algumas referências a Héregion (de O Enigma de Shalkas). Então a principal conexão entre esses livros é que Athar ( de Fantasya) e Héregion são reinos vizinhos e as histórias acabam se cruzando nos dois livros.
Confesso que isso é um dos motivo que mais me faz querer ler o livro. É muito bom quando o contexto de uma obra se expande e podemos acompanhar mais de um personagem dentro do mesmo ambiente. Mas então vamos as minhas impressões né?! Primeiro conheçam um pouco sobre Fantasya e em seguida o que achei do que li:
“Em uma terra distante chamada Athar, dois amigos, Charlie e Léo, garotos comuns que viviam na calmaria de uma cidade interiorana, descobrem um fantástico mundo jamais imaginado. Além de belas paisagens e criaturas místicas, o lugar é repleto de tesouros. Porém, um perigo iminente previsto por uma antiga profecia coloca toda essa magia em risco, pois Stella, um elfo maligno dominado pelas sombras, dá indício de seu retorno após mais de dois séculos desaparecido. Seu objetivo é claro: dominar toda Athar e espalhar as trevas para construir seu reino. Fantasya mostra ao leitor como a união e a amizade podem ser grandes aliadas na guerra da luz contra as sombras, e que ainda há esperança para aqueles que creem na vida infinita.”

Recebemos apenas 24 páginas de cada livro, o que é incrivelmente muito pouco! Nas primeiras páginas conhecemos Charlie, Léo e Dona Matilde. Charlie vive em um ambiente muito pitoresco, se posso assim dizer, sua casa fica distante da cidade e ele gosta bastante disso. Passa a maior parte do seu tempo na floresta, ao lado do rio ou com seu amigo Léo.
“Mas há algo dentro de mim que me diz que a hora de partir não está tão longe. Além do mais, partir não significa acabar.” – pág 12
Léo mora com a Avó e cuida da saúde dela. Léo e Charlie são muito amigos e a aventura deles começa quando eles acabam encontrando um grande barco grande que os leva para uma terra em que nunca estiveram antes….
Eu gostei bastante da narrativa do Thiago, conhecer os meninos e o lugar em que moram foi muito agradável, porque o autor consegue com suas descrições nos colocar no estado de tranquilidade e paz em que os personagens se encontram. Mal posso esperar para ler o livro inteiro e conhecer melhor esse lugar onde foram parar!
“Noah, cuidado por seu misterioso avô, o importuna por anos para que ele conte algo sobre seu pai, Wood, que desapareceu e nunca teve a oportunidade de conhecê-lo. Pela insistência do jovem, o velho decide falar toda a verdade obscura que fez seu pai ser obrigado a fugir e abandoná-lo. Mas, o que ele não sabe, é que por trás de toda a história seu avô escondeu algo que fez à Wood, e que nunca será perdoado, podendo acabar com as esperanças do jovem de um dia reencontrá-lo. A vida de Wood estava pré-destinada desde seu nascimento, mas seu passado e os motivos de sua vinda ao mundo, se tornou tão obscuras e repletas de mentiras, que agora busca a verdade sobre todo seu passado. Sua verdadeira história agora será revelada.”
Noah mora apenas com o avô, ele nunca conheceu o pai e nem sabe muito sobre ele já que sempre que o menciona não recebe nenhuma resposta. Foram realmente muito poucas páginas e por isso fica um pouco difícil falar sobre o enredo em si.
Gostei bastante da escrita do autor, ele nos ambienta muito bem no reino de Héregion, que aliás é um reino muito bonito e que me deixou muito intrigada. O avô de Noah menciona muitas lendas e histórias e fiquei extremamente curiosa para conhecer esses tals mitos que pelo que podemos perceber são bem reais.
“Quando uma história se inicia, o rumo natural dos eventos pede para que haja um fim, seja ele feliz ou drástico. Mesmo que passe décadas onde todo o ocorrido já tenha se tornado meras lendas em contos infantis, de prosas da vida e cânticos da morte vinda dos quatro cantos deste reino, enquanto esse fim não for escrito nas páginas amarelas, uma alma ainda será torturada de forma a querer este ponto final.”
A história de Noah começa quando o avô decide que precisa contar ao menino sobre seu pai, ele acha que já está na hora de Noah saber mais sobre Wood e de entender o porquê dele ter abandonado o filho.
Fiquei realmente ansiosa para conhecer melhor a vida do Wood, as história da sua vida parecem emocionantes e saber de que jeito Noah vai reagir e agir com esse passado me faz querer muito ler o livro.

0 comentários: