Manic Pixie Dream Girl?

by - domingo, abril 09, 2017


Bom dia gente!!

Encontrei muito o termo Manic Pixie Dream Girl nos últimos tempos e fiquei bem curiosa para saber o que significa. Vem descobrir como é esse tipo de personagem e também pensar um pouquinho sobre o que elas significam na nossa literatura.




A Manic Pixie Dream Girl existe unicamente na imaginação febril de roteiristas-diretores sensíveis para ensinar jovens homens profundos, cismados e sentimentais a aproveitar a vida e seus infinitos mistérios e aventuras.” - Definição de Nathan Rabin

O crítico de cinema usou essa definição em 2007 mas o termo se tornou popular em 2008 e a partir daí se espalhou completamente pela internet. A MPDG é a garota leve, sem problemas, extremamente encantadora mas um pouquinho esquisita, que entra na vida do protagonista triste e depressivo para literalmente tirá-lo do fundo do poço.

Esse tipo de personagem é extremamente criticado porque quando interpretado o real papel da MPDG nos livros e filmes vemos que ela não tem nenhuma outra faceta. É um personagem plano que serve unicamente para salvar o protagonista, não tem família, ambições, trabalho e é claro, não tem problemas, só soluções. A Manic Pixie Dream Girl é o "sonho", linda sem nenhum esforço, feliz, leve, com um espirito livre e extremamente profunda. Ela salva o protagonista e logo depois some, da mesma forma que apareceu, deixando apenas alguma importante mensagem como "viva a vida", "aproveite cada momento".


Eu não conhecia o termo, mas está tão inserido na cultura pop que já até escrevi uma MPDG! Além de é claro, gostar muito de filmes e livros em que essa personagem está inserida. Me coloquei a ler sobre o assunto, quando descobri o termo e encontrei algumas reflexões interessantes. O termo está sendo overused, rotulamos dezenas de personagens como MPDG sem que elas realmente sejam parte desse esteriótipo. 

Como uma Manic Pixie Dream Girl é (normalmente):

1- Cabelos coloridos e levemente bagunçados.

2- Não liga nem um pouco para o que os outros pensam dela.

3- Estranha de um jeito "fofo" e engraçado.

4- Cheia de manias "incomuns" gosta de colagens, costurar, crochê, jogar videogames...

5- Não tem muitas amigas nem amigos. 

6- Gosta de ficar sozinha. 

7- Naturalmente feliz.

8- Muito útil socialmente.

9- Tem muitas teorias sobre a morte, a vida, o amor.

10- Tem um ótimo gosto musical alternativo.

O criador do termo, em Julho de 2014, escreveu um texto pedindo desculpas à cultura pop por causa do termo.

"Então eu gostaria de aproveitar essa oportunidade para me desculpar com a cultura pop: Eu sinto muito por ter criado esse monstro imparável. Sete anos depois de ter digitado aquela bentida frase, eu gostaria de me juntar a Kasan e John Green e pedir a morte da "Mentira Patriarcal" da Manic Pixie Dream Girl. [...] Vamos todos tentar escrever melhor, mais facetadas e multidimensionais personagens: mulheres com ricas vidas e emoções complicadas e total autonomia. Que talvez toquem seus ukuleles e dancem na chuva mesmo quando não há nenhum homem olhando para admirar suas ações." (link para o texto completo).
"Eu não estou aqui para te salvar. Eu sou a personagem principal da minha vida."

Notou que ele cita John Green? O autor é constantemente acusado de utilizar a MPDG em seus livros, mas em uma postagem em seu Tumblr ele tentou esclarecer as coisas:

"Por acaso essas pessoas que constantemente me acusam de colocar esse tipo de coisa em meus livros, os leram? Cidades de Papel é devotado, INTEIRAMENTE, à destruir a mentira da Manic Pixie Gril; O livro acaba (isso não é bem um spoiler) com a jovem garota dizendo essencialmente "Você ainda vive nesse mundo de fantasia onde garotos podem salvar as garotas por serem emocionalmente interessados nelas?". Eu não sei como poderia ter sido mais claro sobre o assunto sem chamar o livro de "A Mentira Patriarcal da Manic Pixie Dream Girl Deveria Ser Esfaqueada No Coração e Morta" (link do texto original).

Bom, não há problemas quando uma personagem tem as características típicas de uma MPDG, o problema que estamos enxergando é que ela só tem isso. Precisamos de personagens fortes, bem desenvolvidas, complicadas e reais. Eu gostaria de ler mais livros onde as personagens se salvam. Sem a necessidade de um ser meio místico, irreal, bem resolvido e dedicado unicamente para a felicidade do personagem.

LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

1 comentários

  1. eu n sabia desse termo e depois de ler o seu post compreendi, eu tambem vejo que realmente na literatura contemporanea tem muitas personagens assim; eh basicamente uma forma do autor resolver um problema sem pensar dms nele.. eu imagino um monte, mas se vc pedir p eu falar um eu fecho a boca, pq n trabalho sobre pressao kkk

    perolasdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir