Tinta - Fernando Trías de Bes

by - quinta-feira, abril 26, 2018


Na busca por o motivo de certos acontecimentos. Cinco homens, sendo um livreiro, um matemático, um editor, um impressor e um revisor, inconscientemente acabam por se envolver em uma busca desencadeada pelo destino, assim juntando forças, trabalhando e contribuindo naquilo que pode parecer uma loucura.


Sobre o Livro:

Autor: Fernando Trias de Bes
Título: TINTA
Editora: Autêntica
Páginas: 136
Ano de edição: 2013
Crédito da Foto.

Sinopse: 
O espanhol Fernando Trías de Bes conta a história de um livreiro, um matemático, um impressor, um revisor e um editor, na Mogúncia de 1900, que sofrem do mesmo mal: sentem-se angustiados e não sabem qual é o motivo de seu desatino; veem a vida com desencanto e insatisfação e estão a ponto de desistir de encontrar uma solução. Mas o destino faz com que cada um deles dê sua contribuição para que todos encontrem um motivo para seguir adiante.
Tinta é um livro insólito e inesquecível, que se move entre o real e o imaginário. De narrativa aparentemente simples, na verdade esconde uma trama complexa, conduzida por personagens extremamente originais que nos mostram o poder que a literatura e a imaginação têm de transformar vidas. Tinta é uma homenagem original ao universo das palavras e ao livro impresso; uma pequena joia, uma história que se lê com o coração e que nos captura do começo ao fim.

As primeiras páginas lidas de Tinta me fizeram pensar que se tratava de um romance que ia me levar para momentos clichês e já lidos em tantos outros livros. No entanto, ao passar os capítulos pude para sentir que é mais complexo no qual poderia imaginar. O autor nos aguça a curiosidade para buscar entender o que de fato acontece com os personagens e assim liberando aos poucos através de flashbacks no texto que expõe seus tormentos e prendendo nossa atenção com os acontecimentos passados.

Tudo começa pelo livreiro que descobre a infidelidade de sua esposa, que apesar de ter um caso extraconjugal vai a encontros com esse amante de forma automática e não por livre escolha, já sendo explicado no primeiro capítulo. Ela é como a musa inspiradora, pelo qual o livreiro dá início a busca para encontrar a explicação por esse desatino.

Ao desenvolver da trama outros personagens vão sobrechegando e interligando através de duas coisas em comum: As palavras através dos livros e os infortúnios de circunstância do passado. Ao abordar os problemas internos dos personagens permite a humanização de cada um. Indo da aparência tranquila perante a sociedade até a perda dela.  Com isso mostrando como os seus transtornos afetam as pessoas próximas a eles, tornando-os loucos e os isolando das pessoas.

O avançar dos personagens sobre a tal motivação procurando as respostas nas palavras é longa, porém vemos que a solução se torna bem mais breve do que se pode imaginar chegando aos últimos capítulos. O autor faz refletirmos sobre as várias formas que o livro pode se revelar aos que lerem passando muitas vezes de simples objetos, para sinais dos quais respondem as  aflições deles. 

Mostrando que os problemas podem não ser iguais, contudo o que uni todos são as procuras para solucionar aquilo que os afetam.
A escrita é bem construída, os personagens complexos e singulares, humanizam a todos através daquilo que os atormentam e tudo de forma simples e natural. Julguei esse livro achando que tinha comprado mais um romance com clichês, no entanto amei ler e conhecer essa obra.

Bom, corujas, por hoje é só!
Vejo v
ocês nas próximas.




LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários