Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole

by - terça-feira, setembro 18, 2018


Bom dia gente,

O post de hoje é sobre Mil Beijos de Garoto, um romance que pelo jeito todo mundo gostou, mas sinceramente, tem mais problemas de enredo do que personagens. Vem entender o porque da minha opinião. Essa resenha provavelmente vai ter alguns spoilers, mas serão todos sinalizados.


Sobre o Livro:



Autora: Tillie Cole
Editora: Outro Planeta
Numero de Páginas: 400
Lançamento: 2017
Poppy e Rune parecem ter se encontrado por uma manobra do destino. Os dois se tornam amigos ainda crianças, e com apenas oito anos, já são namorados. Eles passam todo o tempo possível juntos, o amor dele é grande, forte... e extremamente clichê, mas ok, falamos disso depois. 

Rune é norueguês, e quando tem 17 anos seu pai é transferido de volta ao seu país natal, e dessa forma Rune tem que se afastar de Poppy, sua amada. Não é um momento fácil, ele acaba sendo tomado pela raiva e a mágoa. Nos dois anos que passa na Noruega, ele começa a beber, a fumar e faz amigos duvidosos. Além de sempre estar em guerra com a família. 

Tudo isso por causa de Poppy. Porque ela desapareceu. Algum tempo depois da mudança de Rune, ela parou de atender as ligações e pareceu sumir do mapa. Ninguém na cidade sabia porque sua família tinha se mudado, nem porque não tinham mais voltado. 

Quando Rune volta à Oslo e reencontra Poppy, tudo nele a rejeita. Eles eram melhores amigos, namorados, almas gêmeas, e mesmo assim ela tinha sumido, deixado ele sozinho. 

Começo do spoiler.

Até esse ponto, a narrativa tá incrível. Um casal que se ama muito, desde sempre, que é obrigado a se afastar e que agora, dois anos depois, precisa se reconciliar. Mas sabe o que a autora faz em seguida? Pois é, cancer. E tudo o que eu esperava do livro foi por água a baixo quando Poppy conta para o namorado, seu verdadeiro amor da vida inteira, que tem cancer terminal e que sumiu para protege-lo. 

E então "Mil Beijos de Um Garoto" se torna aquela jornada da menina com cancer. Uma menina forte, sorridente, completamente Manic Pixie Dream Girl, que é boa demais para o menino, mas que o ama tão intensamente que não precisa temer a morte. Poppy 'concerta' o namorado, durante o enredo, ela é quase um ser sobrenatural. Sempre com a palavra certa a dizer, uma linda jura de amor, e nunca sentindo medo nem preocupada com outras pessoas além de Rune. 

Bom, Rune no começo reage como uma pessoa normal, sofre e tenta negar o que está para acontecer. Mas em seguida, ele passa por uma jornada de redenção e toda aquela raiva que ele cultivou por anos vai sumindo a cada sorriso da amada. 

Não me levem a mal, mas apesar de ter me tirado lágrimas, o livro tem um enredo pouco crível. Namorados desde os oito anos? A história é praticamente toda voltada pros dois personagens. Apesar de terem família e amigos, nada parece mais importante pro leitor que a interação dos dois. Rune é possessivo, completamente obcecado. E Poppy, bom, ela é a MPDG, uma personagem quase sobrenatural, extremamente excêntrica, que é só raios de sol e sorrisos. 

Fim do spoiler.

Acho que o que realmente me incomodou na narrativa, é que as personagens não cresceram tanto quanto eu acredito que poderiam. O amor deles é tão inabalável, clichê e cheio de momentos especiais, que foi difícil me apegar as personagens. Apesar de a narrativa alternar entre Rune e Poppy, a história caminha somente para Rune, só ele tem um arco de desenvolvimento (mesmo que bem pequeno) enquanto Poppy continua a mesma menina que conhecemos no primeiro capítulo, com uns cinco anos, inocente de tudo e apaixonada pela vida.

Talvez o meu desapontamento com o livro tenha a ver com toda a expectativa que eu tinha. Ouvi muito falar da história, desse amor inabalável... infinito. Mas o amor dos personagens caminha beirando uma relação tóxica e termina com um epílogo completamente fora da realidade e que quase acabou com a experiência inteira do livro. 

São dois ótimos personagens, com bagagens, características próprias e também um sentimento muito forte. Mas não adianta essa interação massiva, esses momentos bonitos e perfeitos, quando não existe uma evolução dos personagens. 

Como deu pra perceber, eu ainda não tenho certeza de como me sinto sobre essa leitura. Foi um livro que me prendeu no primeiro momento, mas que também me fez revirar os olhos ao ser previsível. Se você gosta de romances bem melosos, gosta de histórias de amor contrapondo o poder do tempo, bom, Mil Beijos de Um Garoto é um livro pra você. 

Agora, se você é como eu, e fica um pouco cansado quando o enredo é previsível, talvez seja melhor passar essa leitura. 

Bom gente, essa foi a resenha de hoje. Já leram esse livro? Concordam comigo?





LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários