Operação Impensável - Vanessa Barbara

by - quinta-feira, setembro 27, 2018



Muitos livros de romance começam os personagens fazendo sua jornada para enfim se encontrarem, mas e se o livro já tratasse do encontro para o rompimento? E se falasse que o final do rompimento pode ser semelhante a uma guerra? Prontos para "acabar"?



Sobre o Livro:

Autora: Vanessa Barbara
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 224
Ano: 2015
Skoob.
Compre Já!

Sinopse: 
"Operação Impensável foi o nome de um plano de ataque à União Soviética liderado pelo então primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, logo após a Segunda Guerra Mundial. Segundo a historiadora Lia, essa foi a manobra que deu início à Guerra Fria, conflito entre Estados Unidos e União Soviética que durou 45 anos.
Operação Impensável é também um plano de Lia para descobrir definitivamente o que  há de errado em seu casamento com Tito. Para ela, o conflito dura 43 dias angustiantes. Durante cinco anos, o casal viveu o que parecia ser uma história de amor, pontuada por e-mails espirituosos, muitos filmes comentados a dois e inúmeras partidas de jogos de tabuleiros. Mas  aos poucos a paz conjugal é substituída por um clima de tensão em que as relações de poder são tensão em que as relações de poder são permeadas de ameaças implícitas. Como na Guerra Fria, não há confronto bélico declarado. Algo parece prested a explodir. E, no caso de Lia e Tito, a explosão realmente acontece."

Confesso que sou apaixonada por histórias de amores trágicos ou que mostrem como são relacionamentos que tira os floreios e as falsas realidades do contexto. 

Tudo começa com a Lia dizendo como foi o início de seu relacionamento com Tito intitulando o capítulo como “Período de Paz”. Trazendo as cartas e email enviado por ambos, o grande livro do cinema que tinham uma resenha particular e um tanto cômica, animais de estimação, amigos que fizeram e unirão ao decorre do tempo, fluído, regrado de jogos de tabuleiros, até um tem um glossário de piadas internas e partidas de carta.

Tudo parecia muito utópico. Chegando ao ponto de tirar suspiros e pensar que só algo mais grave como, por exemplo, um deles “matasse o outro por intoxicação alimentar ou fosse atingido por um bólido de uma fruta-pão”, poderia de fato acabar com o relacionamento. 

Como em qualquer em prenuncio de guerra, a paz não é eterna e com isso começa o confronto. Com o passar do tempo ela reparava que o marido não era aquilo que parecia. Os primeiros sintomas da crise foi o afastamento que se abria entre eles pelo fato de Tito ter explosões de raiva que ele alegava ser pelo trabalho e até as crises depressivas de Lia também se tornava um problema para ele. Lia começou a se retrair por medo, calada e vivendo direcionada em suas atividades. Esperando que momentos de brigas fossem cessados pelo silêncio e deixando-o ele fazer o que desejava, para que gerasse um conflito.

O Tito é programador que era um completo egoísta, com uma facilidade para mentir, sempre pondo em primeiro instante, competitivo e fazendo de vítima muitas vezes jogando a culpa nela. Era um tipo de jogo manipulador para sempre se sair bem. Quando ele se envolve com outros homens do trabalho entrando em grupo que intitula “Pacto de Varsóvia” piora ainda, pois no grupo eles agiam feitos idiotas, as principais ações eram criticar as pessoas que os rodeavam e piorou conforme passou o tempo, se tornaram desonestos, arrogantes e machistas. 

E com isso, por sempre querer passar que é o cara para os outros homens do grupo, acabou indo por esse caminho e abrindo mais ainda o espaço no casamento.

Apesar do que sofreu ela não parecia entregue.  Não!  Já tinha levado todos os chutes na boca, procurava apenas encontrar a verdade em um relacionamento trabalhado em mentiras. E por mais que pudesse leva - lá a desilusão teria certeza que encontraria a verdade e estaria lá em pé ganhando a guerra.

Vanessa escreve de forma muito gostosa de ler e faz com que das cenas engraçadas, venha às de tristezas que ela sofre e concluíam com o vencer da personagem. Contudo sempre mantendo em todo momento aquela ritmo. Levanta questões nas quais nem sempre os problemas são apenas de agressões físicas. As atitudes podem prejudicar e gerar ou agravar casos de ansiedade, depressão e até de baixa auto-estima, pois a desvalorização repleta de mentiras gera sentimentos que anulam até a mulher mais feliz fazendo em muitos casos uma auto sabotagem. 

Como na parte que ele compra um Xbox, assim que recebeu a caixa vinda da china teve sua euforia e quando notou um pequeno problema deixou de lado, não se desfazendo do brinquedo apenas o manteve em um canto da prateleira. Em seguida ela diz “Acho que fui um Xbox antigo e feio na vida de Tito, uma geringonça que veio de longe e demorou um tempão para chegar. Mas que possuía defeitos; então ele enjoou e trocou por um outro”.

Muitas vezes passamos por situações tensas principalmente quando é vinculado ao relacionamento, algo que nos deixa vulneráveis na questão de confiança. A forma com a qual a Lia vai crescendo e não permitindo que as coisas continuem das formas que estão é determinante assim como em uma guerra ela faz o planejamento e ataca. 

As notas de rodapés enfatizam mais ainda todo o processo, desde fargmentos ou frases de livros e em trechos de filmes para mostrar o quão por vezes os sentidos daquele momento estavam profundos, principalmente no de Lia. O jogo de cumplicidade que houve em relação aos amigos de Lia para com Tito é de irritar, pois o vínculo de certo e errado é perdido. E mesmo vendo que a situação estava causando uma queda do precipício se mantiveram - o que me gerou uma revolta!

Acho que todos deveriam ler ao menos um trecho desse livro para ter noção de que ele ajuda mais que livros de auto-ajuda sobre rompimento. Mostra do jeito engraçado que muitas vezes  em situações de guerra e traição pode haver uma forma de escape do trágico, dando-lhe lugar aos vitoriosos.

Bom por hoje é só coruja! Até a próxima.

LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários