Querido ex. - Juan Jullian

by - quarta-feira, outubro 30, 2019


Bom dia gente!

Desde o momento em que eu vi a capa de Querido Ex na internet, eu já queria ler imediatamente. Ele está há algumas semanas em #1 na categoria LGBT na Amazon, e naquela confusão com a Bienal, ele ficou gratuito e eu corri para adquirir. Eu devorei o livro e acompanhei o protagonista na sua busca de superação de um péssimo ex namorado. E foi divertido, eu só acho que acabou cedo demais. 



Sobre o livro: 


Autor(a): Juan Jullian
Editora: Transversal 
Número de páginas: 126
Lançamento: 2018
Skoob.
Compre já! 

Bom, passar por um término nunca é fácil, mas com certeza fica ainda mais complicado se seu ex vira uma celebridade e parece estar jogando na sua cara o tempo todo o quão bem a vida dele se tornou depois que você sumiu. 

Nosso protagonista não tem um nome, já que todas as cartas são escritas por ele mesmo, nunca ficamos sabendo como ele se chama, mas nós conhecemos muito bem sua personalidade. Ele é ácido, engraçado, cheio de referencias à cultura pop e também um garoto doce que ta tentando encontrar seu lugar no mundo. 

"Seu nome é menos digno de ser pronunciado do que o do assassino dos pais do Harry Potter; ecoar as letras que o formam é equivalente a beber um copo de chorume deixado por caminhões de lixo após duas semanas de greve de coleta no Rio de Janeiro" 

Mas as cartas que ele escreve ao ex namorado não são só insultos e mágoas, ele também tenta entender e se explicar. Quando passamos por um relacionamento abusivo, demora para que as coisas façam sentido, e no livro vemos bem a evolução de um personagem que consegue identificar o que havia de errado no seu relacionamento e tenta a todo custo não repetir esse erro. 

Não quero falar muito sobre a história, porque foi uma boa surpresa começar o livro sabendo só o título. Mas é bom salientar que a história não dá muita moral para seu personagens secundários, o foco é mesmo a vida do protagonista e como ele vê as coisas. Um romance epistolar como esse tem essa característica, então apesar de querer conhecer mais os amigos e a família do nosso personagem, eu entendi que não cabia muito. 

"Eu, um personagem de comédia romântica dos anos 2000, que chora de alegria no meio da chuva depois de conquistar um beijo do crush. Cada momento ao seu lado era uma página de um livro novo de Harry Potter que mais ninguém no mundo tinha o privilégio do acesso."

O livro tem só 126 páginas, coisa que eu só percebi depois que terminei a leitura. As coisas acontecem super rápido na história, e quando eu cheguei no fim, tive a sensação de ter lido muito, de ter acompanhado muito da vida dele, mas na verdade não foram tantas páginas assim. Conforme eu estava lendo, fiquei impressionada com a velocidade da escrita e também com vários comentários do personagem. Mas agora que a leitura terminou, e que já tive um tempo para respirar. Não sei mais definir exatamente minha experiência com Querido Ex. 

Eu fiquei bem decepcionada com o final. Achei que principalmente o epílogo serviu para explicar tudo e acabou apagando tudo o que o protagonista tinha passado e denunciado quando escreveu as cartas. Não achei que seu ex merecia qualquer tipo de redenção, mas aparentemente o autor acreditou que sim. 

O livro termina como um manifesto, como se ele quisesse dizer mais do que foi dito. Nesse momento da leitura eu levei as mãos a boca e não quis acreditar que o autor tinha feito isso comigo! Mas como todo final inesperado, ele corre o risco de não agradar a todos. 

Eu queria mais páginas Juan Julian! Eu queria entender melhor os acontecimentos, queria cartas mais longas, eu queria ter saboreado um pouco mais essa história que é representativa e importante demais para caber em apenas 126 páginas. Acho que existia muito mais a ser dito, e fiquei decepcionada de ver o que o livro poderia ter alcançado e acabou não conseguindo. 

"Você não está mais aqui para tirar o protagonismo da minha história ou o brilho das minhas conquistas. Você não tem mais o poder de decidir meus atos por mim, como se fosse o diretor da minha vida. Eu me libertei de você, eu rasguei nosso contrato, e apesar de não ter feito um novo que, assim como o seu, me garantisse um programa de televisão, eu tenho agora as rédeas da minha narrativa e escrevo nos meus próprios termos." 

Mas não se engane, foi um ótima e rápida leitura, com uma playlist incrível e eu realmente ri alto no ônibus. Foi divertido e em alguns momentos me doeu também. Querido Ex é um livro que precisava ser escrito e que me apresentou uma realidade que talvez eu nunca tivesse acesso sem ele. 

LEIA TAMBÉM EM NOSSO BLOG:

0 comentários